Catálogo

Vigas, montantes e frames customizados para construção em sistema Light Wood Frame

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS TWBRAZIL

Espécie: Pinus taeda

Secagem e Ressecagem: KD – Kiln dried – Estufa micro-controlada

Usinagem: Plaina moldureira S4S /E4E

Tolerância dimensional: 2mm na largura e espessura

Classe de Resistência: WFC20 (NBR 16936) ou C20 (NBR 7190) (mínima)

Classificação Visual (NBR 16936): S2 (S1 sob consulta de estoque)

Tratamento Preservativo (NBR 16143): Categoria de Uso 3 – vácuo-pressão em autoclave com retenção mínima de 4,0kg(CCA)/m³

Classe de umidade: 3 – máxima de 18%

Consulte nossas dimensões comerciais e sugestão de preços


COEFICIENTES DE MODIFICAÇÃO SUGERIDOS NO CÁLCULO ESTRUTURAL

Kmod1: 0,6 (Carga permanente – maior do que 10 anos)

Kmod2: 0,8 (Classe 3 – Umidade de equilíbrio de 18%)

Kmod3: 0,5 (S2 – Classificação Visual conforme NBR 16936)

Kmod3 Global para madeira classificada como S2: 0,24

Kmod3 Global para madeira classificada como S1:  0,288 (adicional de 20%)


CRITÉRIOS DA CLASSIFICAÇÃO VISUAL CONFORME NBR 16936

SS (Kmod3:0,7): Sem presença de medula, nós menores que 20% na face estreita e nós menores que 25% na face larga e demais requisitos gerais abaixo.

S1 (Kmod3:0,6): Sem presença de medula, nós menores que 25% na face estreita e nós menores que 33% na face larga e demais requisitos gerais abaixo.

S2 (Kmod3: 0,5): Presença de medula, nós menores que 33% na face estreita e nós menores que 50% na face larga e demais requisitos gerais abaixo.

S3: Madeira não estrutural e por consequência não pode ser usada para sistema construtivo light wood frame.

Requisitos gerais atendidos: Encurvamento menor que 8mm para cada 3m de comprimento, arqueamento menor que 3mm para cada 2m de comprimento, torcimento menor que 5mm para cada 1m de comprimento, sem restrições de encanoamento, esmoado máximo de 1/4 da espessura da peça, sem zonas atacadas por fungos apodrecedores, sem restrição para fungos cromógenos, admite-se orifícios causados por insetos com diâmetro máximo de 2mm.


Fornecemos de madeiras para as melhores construções em sistema light wood frame desde 2005.

Após a publicação e vigor da NBR 16936 – Edificações em light wood frame e da NBR 7190 – Projeto de estruturas de madeira, a madeira voltada para estruturas de madeira, em especial àquelas voltadas a construções em wood frame precisam atender a diversos requisitos técnicos.

Nossos consultores técnicos poderão auxiliá-lo na especificação e compra dos montantes e vigas para que o seu empreendimento tenha a segurança e durabilidade exigida nas respectivas normas.

Aspectos à serem considerados:

  • Características mecânicas
  • Classe de resistência (C16, C20, C22, …)
  • Classificação Visual (SS, S1, S2)
  • Umidade de fornecimento (até 18%)
  • Dimensões e tolerâncias
  • Retenção de produtos preservativos conforme NBR 16.143 – Preservação de madeiras – Sistema de categorias de uso.

Além das características técnicas, os aspectos sócio ambientais também precisam ser observados, já que a pressão sobre os recursos florestais das próximas décadas crescerá exponencialmente. Como sugestão da TWBrazil,  segue relação dos documentos a serem solicitados para nossos concorrentes antes de comparar meramente os aspectos financeiros:

  • Alvará de Funcionamento
  • Licença ambiental do Estado sede da empresa
  • Certidão de Regularidade no IBAMA
  • Certidões Negativas de impostos Federais, Estaduais e Municipais
  • Certidão de Regularidade do FGTS dos colaboradores

Nosso departamento de engenharia e desenvolvimento de novos produtos também estará à disposição dos nossos clientes, desde o momento da compra até o efetivo uso da edificação.

TWBrazil UPM Ltda
CREA PJ 58581

Dimensões Comerciais e Preços Sugestivos

Características Técnicas

Espécie: “Pinus taeda”

Secagem: Em estufa (k.d.) micro-controlada

Umidade: 18% (máxima)

Norma de referência: ABNT NBR 16.143 e ABNT NBR 6232. Norma ABNT NBR Sistemas construtivos em Light Wood Frame está em fase final de desenvolvimento.

Montantes e Vigamentos para Construções em sistema Wood Frame.

O Processo inicia na seleção das florestas com idades superiores à 35 anos (maior densidade / Estabilidade), serradas com precisão milimétrica, secas em estufa micro-controlada, submetidas à processo de preservação por vácuo-pressão em autoclave, mantidas em período de reação de fixação dos óxidos, re-secagem em estufa (kiln dried), usinagem em plaina moldureira com precisão milimétrica, análises laboratoriais (TWBrazil), embalagem e expedição. A madeira possui rastreabilidade para identificação de eventuais lotes com baixa retenção/penetração de CCA.

Fornecedor das empresas pioneiras em construção de edificações residenciais e comerciais no Brasil. Membro da ABPM (Associação Brasileira de Preservadores de Madeira).

PRESERVAÇÃO DA MADEIRA – RETENÇÕES DE NORMA

Residencias unifamilares com até 2 pavimentos: 4,0kg/m³

Edificações residenciais/comerciais multifamiliares com até 4 pavimentos: 6,5kg/m³

Consulte nosso departamento de engenharia para maiores informações e viabilização do uso do sistema pelo leo@twbrazil.com

Aqui vc pode comprar a norma ABNT

Caso você seja dirigente de uma construtora ou incorporadora, podemos auxiliá-lo no estudo preliminar de adoção do sistema Wood Frame. Mais conforto para o usuário, maior agilidade para o construtor, maior rentabilidade para seu incorporador e menor emissão de CO2 para o meio ambiente.

DISPOSIÇÃO FINAL (Fonte: Montana Química – Boletim Técnico)

  • Disposição de resíduos de madeira tratada em aterros industriais legalizados, de classe I;
  • Reutilização da madeira descartada na fabricação de outros bens, tais como: mobiliário de uso externo, caixas de lixo, de plantas, “decks”, cavaletes, parapeitos, paletes, etc;
  • Incorporação da madeira descartada ou suas sobras em materiais compósitos do tipo fibra de madeira + plástico ou fibra de madeira + cimento;
  • Estender ao máximo o ciclo de vida de alguns bens a base de madeira tratada com CCA, principalmente no caso de postes, com o estabelecimento de um programa de tratamento curativo para as unidades em serviço;
  • Pirólise da madeira tratada, pelo processo “Chartherm”, já disponível em escala industrial
  • Logística reversa, de modo à devolver os resíduos e sobras para a “usina de preservação de madeira” fornecedora.

Galeria de Imagens